segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

10 Vilões plenamente desprezíveis

Vilões existem para serem odiados. Isso é um fato simples. Seu papel narrativo vai além do mero "antagonismo" e extrapola essa função para servir como objeto de antipatia e desgosto.. Mas ao mesmo tempo que alguns casos fracassam plenamente em estabelecer como o vilão é perverso, outros parecem ir aquele passinho extra em transformar o meramente desagradável no completamente repulsivo. Claro, isso não impede esses vilões de terem seus fãs - seja por que amamos odiá-los, ou porque alguns insistem em vê-los como "heróis incompreendidos" (estou olhando para vocês, fãs do Coringa). Aí vão 10 vilões completamente desprezíveis, desprovidos de qualquer coisa que os redima como seres humanos. Não tem nenhum motivo em especial para estes 10, ou para a ordem em que estão - salvo pela dupla no fim da lista


10 Rei Arthur (Once Upon a Time)


A uma versão vilanesca de Arthur Pendragon.
Sim, alguém da “novela de contos de fadas” da ABC - e alguém tradicionalmente associado ao mais puro heroísmo. Essa releitura do lendário rei de Camelot pode parecer tão nobre quanto nas lendas, mas por trás de seu sorriso cordial e seus códigos cavaleirescos, está um homem obsessivo que não vê problema em manipular a mente de seus súditos, por sua esposa sob controle mental, ou manipular seus “amigos” como se fossem peças de xadrez. Tudo isso porque a Excalibur não estava completa...





9 O mestre (Doctor Who)


Nove rostos, uma insanidade.
Um dos maiores inimigos do Doutor, o Mestre pode até ter seus momentos de (pseudo)heroísmo, mas isso não o salva dessa lista. Insano desde sua juventude, o Senhor do Tempo que veio a ser conhecido como o Mestre está disposto a tudo por controle e por mais tempo de vida. Ele “sem querer” destruiu parte do universo em Logolopolis, roubou o corpo de Tremas para estender sua vida além dos limites de sua regeneração, e no auge de sua insanidade, fez com que humanos do futuro torturassem  e dizimassem a humanidade “por diversão”. Não bastasse isso, como primeiro ministro do Reino Unido, ele controlou a mente de seus concidadãos, matou seu gabinete e levou a sua “esposa” a completa passividade através de abuso sistemático.  Ele tomou o lugar da raça humana, tentou criar um exército de Cybermen dos nossos cadáveres, somente para provocar o seu “Velho amigo”/”namorado”.




8 Barão Vladimir Harkonnen (Duna)


Ou: o Fat Bastard original.
Eu poderia por a versão em filme, mas vamos com o original
Ganancioso, desumano e impiedoso, as políticas do Barão da casa nobre dos Harkonnen não são muito diferentes de outros representantes da nobreza no Landsraad. Mas em sua vida pessoal, o ruivo barão consegue superar todos os seus pares em sua desumanidade. Tão repulsivo e ganancioso por dentro quanto sua aparência sugere, Vladimir depende de um harness anti-gravidade para se locomover - e seu apetite por prazeres depravados é tão grande quanto o por poder e iguarias. Nem mesmo a morte impede a notória sede de poder do Barão, disposto a sacrificar seu sobrinho Rabban para controlar Arrakis: após sua morte, as memórias do Barão continuaram seu projeto atroz através de sua neta, Alia. Nem estar morto o impede de ser um indivíduo asqueroso...

7 Dr Hell (Mazinger Z)


Papai Smurf do mal.
Como alguém confia nisso?
O homem cuja carreira é um mistério - afinal, quem confia em um homem AZUL que se nomeia DOUTOR HELL? - Doutor Hell é mais um membro do grupo “nazistas ficcionais” (tem um bocado deles), mas Hell vai um pouco além. Um misantropo movido pela rejeição de uma mulher com a qual ele sequer tentou conversar, Hell armou nazistas (Até considerar que Hitler não ia “longe o bastante”) e sonhava com dominação mundial - típico,  não?. Sádico e megalomaníaco,  Hell se via como o salvador do mundo e seu legítimo governante, antes de ser reduzido a mais um dos traiçoeiros assessores do “Grande General das Trevas” como o Grande Marquês do Inferno. Como sinal de sua depravidade, criou aberrações como Conde Brocken (o nazista sem cabeça) e Barão Asura, uma fusão das múmias de um casal. Hell poderia ter trazido os dois de volta à vida normalmente, mas o corpo aberrante do casal era sua maneira de “manter o controle”, com a promessa de retorna-los ao normal. Mas sem que eles soubessem, Hell tinha destruído a outra metade dos dois corpos, apenas pelo prazer de destruir a única esperança que eles tinham. What the Hell,  doutor Hell.

6 Coringa (DC Comics)



O príncipe palhaço do Crime. 
O mais famoso psicopata dos quadrinhos, o Coringa é outro daqueles casos de vilões para os quais não há limites. Tortura? Terrorismo? Assassinato? Aleijar uma mulher para provocar o pai dela? Chantagens? Cortar o próprio rosto fora? Fichinha para o rei palhaço do crime. Mas enquanto a maioria dos psicopatas do mundo dos super heróis tem algum motivo para sua desumanidade, com o Coringa isso é um mistério envolto em um enigma. O pouco que se sabe do seu passado é a história dramática que ele contou para James Gordon para provar que “basta um dia ruim para deixar alguém louco” - uma história que o próprio Coringa admitiu ser falsa. Até onde se sabe, a única motivação do Coringa é seu próprio entretenimento - e há a distinta possibilidade que a parte mais “extravagante” de sua insanidade seja apenas um teatro para um homem frio e calculista.

5 Lex Luthor (Dc Comics)


Vote Lex para presidenteA versão pós crise do arqui-inimigo do Super Homem é um exemplo de como o caminho para o inferno é cheio de boas intenções de como desculpas. Apesar de seu envolvimento recorrente com super vilões e sua ganância sem igual, Luthor se vê como um filantropo e “o melhor que a humanidade tem a oferecer”. Seu ego descomunal move seu ódio eterno contra o super homem, o homem que tirou dele o estrelato - ódio pelo qual Luthor se dispõe a fazer qualquer coisa, de armar atentados terroristas e criar super vilões, oferecer super poderes a centenas de pessoas e tirar esses poderes quando elas mais precisam deles, até se aliar com vilões como Brainiac. E isso tudo enquanto se crê o maior paragono de virtude e genialidade que a humanidade já viu. Antes disso, Luthor era só mais um cientista louco - mas que graça tem isso?

4 Zebediah Kilgrave  (Marvel)


Ninguém está a salvo...

Eu admito: o homem púrpura está aqui graças a série Jessica Jones. Um vilão menor da Casa das Idéias,  Kilgrave é um completo sociopata, desprovido de empatia ou consideração por seus pares. Este é o homem que matou todo um restaurante para poder comer em paz. Que manda seus “agentes” se matarem quando eles deixam de ser úteis. E que gerou dezenas de bastardos apenas para ter “um exército particular”. Capaz de manipular a mente das pessoas, Kilgrave sempre tem o que quer - seja dinheiro, sexo, ou uma jaqueta de marca. Dizer que Kilgrave é machista por seus estupros físicos e mentais é um erro: ele não tem nada contra mulheres em particular, é somente que seus interesses as brutalize mais. Homens, mulheres, idosos e crianças, ninguém está a salvo do homem púrpura e suas intenções doentias. Seja ele o sádico vil dos quadrinhos, ou o egocêntrico da série de TV - que não entende porque o que ele faz é um estupro.




3 Davros (Doctor Who)


Tão feio quanto seus filhos...Como muitos cientistas na ficção, Davros é um homem obcecado. Não com conhecimento, mas com poder. Toda sua vasta pesquisa sendo dedicada a este simples fim: ser o mais poderoso. E pensando nisto é que Davros fez sua maior criação, a “raça suprema” dos Daleks. Pode parecer pouco para esta lista, mas Davros é o homem que, dada a escolha de liberar um vírus mortal que extinguiria a vida no planeta, o faria com prazer. Não por odiar as pessoas, mas simplesmente pelo prazer de ter tanto poder sobre vida e morte em mãos. Assim como suas criações, Davros é completamente desprovido de qualquer coisa que se aproxime de empatia, e tem uma tenacidade que lhe faz se agarrar a vida com a mesma intensidade que ele deseja o poder.


2 Gihren Zabi (Mobile Suit Gundam)



A "sombra de Hitler" em ação...
O nazista do espaço...
Gundam tem muitos vilões desprezíveis, e muitos vilões críveis - e poucos fazem os dois como o líder de fato do principado de Zeon. Gihren é tudo que um líder pode querer ser: carismático, devotado, um gênio estratégico e disposto a assumir os riscos. Ao mesmo tempo, Gihren é tudo aquilo que um ditador precisa ser, com uma disposição fanática a supremacia spacenoid e um dom em causar nos outros a mesma devoção ardorosa.


A similaridade entre Gihren e um certo ditador alemão do século XX não é segredo, dentro e fora do universo diegético de Gundam. E o calvo supremacista sabe disso: quando seu pai, Degwin Sodo Zabi, o alertou quanto ao rumo que ele estava seguindo, chamando-o de “a sombra de Hitler”, Gihren tomou isso como um elogio - e pouco depois tratou de armar a morte do pai, antes que ele pudesse levar a Guerra de Um Ano ao fim. Para ser ainda pior, só sendo um nazista mesmo.


1 Johann Schmidt, O Caveira Vermelha (Marvel)


A personificação do mal - arte de David Aja.
A pessoa mais perversa que o universo Marvel já viu. O pior
que a humanidade tem a oferecer.



O homem cuja perversidade dava medo em Hitler, Johann Schmidt já seria repulsivo se fosse “apenas” um nazista. Mas isso é pouco para o mais perverso vilão da Marvel. Enquanto seu inimigo Steve Rogers representa o melhor que há na humanidade, Schmidt é o pior: um assassino e genocida incapaz de compaixão, Schmidt existe para mostrar o quão podre a humanidade pode ser. Se outros vilões tem motivações para sua monstruosidade, o máximo que Johann pode dizer em sua defesa é a morte dos pais (a mãe, no parto. O pai, suicídio) e que, uma vez, quando ele era jovem, uma garota rejeitou suas investidas amorosas - e em resposta, ele a estuprou e a matou.
Desde jovem, Schmidt era um monstro. “Adotado” pelo partido nazista quando trabalhava em um restaurante, como resultado de uma “aposta” de Hitler (que disse que faria ‘do serviçal’ um nazista melhor que todos a mesa), Schmidt passou de um “joão ninguém” para uma das piores pessoas no mundo, superando seus “mestres” em matéria de ódio.

Racista, machista, homofóbico, anti semita, xenófobo - nenhuma forma de ódio está abaixo do caveira vermelha. Quando sua filha, Pecado, nasceu, o caveira tentou matá-la pelo “crime” de ser mulher. Os seus crimes são numerosos demais para serem listados - basta dizer que os únicos aliados que o co-fundador da Hidra tem são outros nazistas. Ninguém mais se dispõe a se aliar com ele. Nem mesmo o Coringa durante os crossovers da Marvel e da DC.
Ruim demais até pro coringa.
Não estou brincando quanto a isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário