segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Juntas Soltas: Revenge of the Fallen Voyager Megatron

Semana passada, eu falei do Megatron do primeiro filme de Transformers. Por todos os aspectos, uma figura que simplesmente não deu certo. Uma forma de robô tediosa, Gimmicks pouco funcionais e um esquema de cor monótono estavam longe de ser seus maiores problemas. Juntos, ainda eram pouco perto de sua forma de "veículo", digna de um MS transformável de Gundam. Pouco mais do que um robô estirado, a conversão do "Imperador da Destruição" mal se passava por qualquer coisa

Dois anos mais tarde, em A Vingança dos Derrotados, Megatron voltava a vida com um alt mode novo: um tanque cybertroniano. Novamente, havia pouco esforço em fazer do alt-mode um disfarce, mas havia uma conversão de verdade - e desta vez, devido ao ciclo de produção conturbado do filme, os bonecos terminaram radicalmente diferentes do visto no filme. Nosso foco aqui é o tanque "tartaruga" da classe Voyager - diferente do "canhão ambulante" do Leader Class ou do bolo visto na linha de Age of Extinction. 


terça-feira, 15 de agosto de 2017

Juntas Soltas: Movie Voyager Megatron

Poucos personagens passaram por uma variedade tão grande de designs quanto Megatron, e sua incarnação cinematográfica não é exceção à tendência do "imperador da Destruição" de alterar sua forma alternativa de tempos em tempos. Em cinco filmes, Megatron (atendendo em um deles por Galvatron) passou por cinco formas alternativas - e uma quantia ainda maior de bonecos. 

Convertendo-se em um jato cybertroniano em O Último Cavaleiro, a encarnação atual de Megatron tem tido uma recepção excelente por parte da fanbase, em termos de seus bonecos. Mas não é deste design que estamos falando, mas sim do seu primeiro design, de 2007, que também virava um jato alienígena - só um tanto... rudimentar.

A versão aqui vista é  versão lançada no Boxset The Gathering at the Nemesis, de A Vingança dos Derrotados, um redeco do Voyager de 2007. Este Megatron veio com uma versão inalterada de seu mestre, o Fallen, e uma versão azul de Soundwave. 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Juntas Soltas: Generations Darkmount "Straxus"

O começo de Generations foi marcado por uma bateria de personagens obscuros e ignorados. Enquanto Classics e Universe se focavam em mainstays como Optimus Prime, Starscream, Prowl e Grimlock, Generations abria com um misto de personagens retirados dos quadrinhos e os redesigns do jogo War For Cybertron.

É da primeira categoria que vem "Darkmount" - ou como o personagem realmente se chama, Straxus. Originário dos quadrinhos da Marvel, o tirano de Darkmount existia apenas como um personagem esquecido dos quadrinhos - tão esquecido que a Hasbro conseguiu perder o trademark de seu nome. Que, para a surpresa de todos, no começo de 2010, emergia na forma de um Deluxe. 

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Juntas Soltas: Lego Bionicle 2015 Toa Tahu


Ah, Bionicle. A linha de Constraction (Bonecos montáveis) da LEGO marcou toda uma geração com seu uso engenhoso de peças, seus designs ousados e sua mitologia intricada. Cancelada em 2010 para a frustração de seus fãs dedicados, Bionicle deu lugar para Hero Factory - com builds mais intuitivos e menos engenhosos e uma mitologia mais simples.

Hero Factory encarou o desdém do fandom da velha linha, chegando ao seu fim em 2015. Em seu lugar, uma nova linha de Bionicle - usando das peças de seu tão malquisto sucessor espiritual - dava as caras. A nova linha Bionicle durou dois anos, começando com este de que falo, o Toa do fogo, Tahu, e seus companheiros.

A segunda geração de Bionicle foi um projeto relativamente ousado para a LEGO, contando com um par de séries animadas - uma em flash, narrando o começo da jornada dos seis Toa, e outra em parceria com a Netflix, em computação gráfica. Apesar disso, a franquia não vingou. 

terça-feira, 27 de junho de 2017

Juntas Soltas: Age of Extinction Hound


Com mais um filme de Transformers chegando temos que falar do melhor personagem que a franquia gerou... falo é claro de Hound. Quando Age of Extinction tratou de prover o mundo com uma nova equipe de Autobots, ninguém esperava ver o velho batedor de geração 1 entre os novos membros do esquadrão de Optimus Prime...

E para a surpresa de ninguém, não viram. Ao invés de um jovem batedor com anseios por ser humano, o novo Hound era uma imensa combinação de personagens: o tema militar de seu homônimo, a barriga proeminente de Bulkhead (o que leva muita gente a dizer que o Hound dos filmes é só o Bulkhead), o mau humor de Kup e o vasto arsenal de Roadbuster... tudo isso sustentado pelo imenso carisma de John Goodman!

Não é sem motivo que o obeso rastreador se tornou um dos mais populares personagens em um filme que lamentavelmente carece de personagens populares. Mas a verdadeira questão é... e o brinquedo? 


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Juntas Soltas: MP-B01 Masterpiece King ExKaiser


No começo dos anos 90, ante ao declínio de Transformers como marca, e o cancelamento de Transformers Zone, a Takara firmou uma parceria com dois grandes nomes da animação japonesa, ambos ligados a um dos, se não o maior nome em termos de robôs gigantes, Mobile Suit Gundam. 

Visando começar uma nova franquia de robôs transformáveis que pudesse tomar lugar da moribunda franquia Transformers, a gigante dos brinquedos firmou uma parceria com o designer mecânico Kunio Okawara e o estúdio de animação Nippon Sunrise.

Em 1991, sob a direção de Katsuyoshi Atabe, as duas empresas levavam ao ar a primeira de sete séries que ajudariam a reconstruir Super robôs como um gênero narrativo após os animes de guerra com robôs gigantes da década anterior terem os relegado ao esquecimento: Yuusha Exkaiser

Centrada nas aventuras dos polícias alienígenas Kaisers (formas de energia que se incorporaram em veículos terrestres) em sua caçada a gangue criminosa dos Geisters, Exkaiser destoava do mar de séries pretensamente "realistas" e "sóbrias" que haviam tomada conta da animação de mecha na década passada, no mesmo ano em que uma das séries seminais do gênero, Getter Robo, se rendia a ilusão de "seriedade" em Getter Robo Go, sua pior série - que foi reaproveitada vagamente como base para um mangá realmente "sério" e que não se envergonhava se sua "super robosidade". 

A ressurreição dos Super Robôs. 

Ao mesmo tempo em que retomava os velhos super robôs, Exkaiser, com suas cores berrantes e tom mais otimista que as séries concorrentes (com a exceção marcante de Zettai Mutteki RaiJin-Oh, da então concorrente Tomy - que contribuiu para o mesmo entendimento) cimentava aos olhos da audiência e do mercado o erro de que "super robôs" carecem de drama, tensão e "realismo". Em comparação com os dramas de guerra tétricos e quase niilistas da década anterior, uma série que se encerrava com seu vilão cometendo suicídio para não ser preso (e outra que se abria com toda uma turma da quinta série sendo esmagada por um robô gigante e um policial alienígena dando sua vida para salvá-la - o que me faz ter que notar: tanto Raijin Oh quanto Exkaiser bebem fartamente de Ultraman) parecia positivamente idealista. 


Em 2005, para comemorar os  15 anos do projeto Brave - que reaproveitou vários designs arquivados e alguns bonecos inteiros de Transformers - e para aproveitar o sucesso imenso de Masterpiece, então um selo comemorativo dos 20 anos de Transformers, a Takara lançou a breve linha Masterpiece Brave - que como sua franquia mãe, se abria com o policial do espaço, Exkaiser. 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Juntas Soltas: Generations Roadbuster


Alguns Transformers tem um "pedigree" diferente dos outros - particularmente durante os dois primeiros anos da franquia, composta primariamente por moldes reciclados de Diaclone e Microman

Mas nem todo mundo vinha das coleções da Takara: alguns se originavam em outros lugares, Uma dupla em particular, os Autobots de luxo, de 1985, se originava em uma obscura série de animação japonesa...

Reaproveitados de moldes produzidos originalmente pela Takatoku para a série Tokusou Kihei Dorvack (aqui lançado como Comando Dolbuck), Roadbuster e Whirl eram visivelmente diferentes de seus colegas. Tinham mais armas, uma assinatura visual mais coesa, com menos partes de veículo a mostra, e formas de veículo que estavam longe de serem realistas... E em 2013, atualizados para  linha Generations, a dupla manteve cada uma dessas características...

Hoje, Roadbuster, um dos últimos lançamentos da pseudo linha de aniversário de 30 anos de Transformers, lançado oficialmente em 2014. Seu "irmão" Whirl, lançado no ano anterior, ficará para outro dia.