sábado, 31 de outubro de 2015

Os 11 melhores robôs gigantes da virada dos anos 80 (1978 até 1982)

A virada dos anos 70-80 foi uma época muito importante para os robôs gigantes. Ao longo dos anos 70, o gênero se expandiu e se levou aos limites. No começo da década seguinte, estava se reinventando e desconstruindo, moldando-se para o futuro e testando o que podia fazer. Ao mesmo tempo, fora do gênero, apareciam robôs em um contexto muito marcante...
Lembrando desse período crucial, aí vão os 11 melhores robôs gigantes da virada dos anos 80 (na minha opinião). Aproveitem!



11 AT-AT (Star Wars: The Empire Strikes Back)

Os andadores imperiais tinham que estar nessa lista, ao menos como figurantes. Lentos, ineficientes e destrambelhados, os AT-ATs depõe contra a praticidade de um robô gigante, e seu design utilitário é tão feio quanto eles são lentos. Mas não há como negar que eles sejam marcantes e imponentes. Só não deixe nenhum cabo se enroscar nas pernas!

10 Dairugger XV (Dairugger XV)

Objetivamente falando, o Dairugger XV é um dos robôs mais feios de todos os tempos. Tudo nesse super robô saído de uma série indecisa e inconsequente é medonho para baixo. Mas ele merece estar nessa lista por juntar o maior número de veículos em um único robô. Formado por quinze veículos, esse gigante metálico trapaceia um pouco para alcançar o número (pés e mãos com rodas não contam como carros gente), mas quem liga quando se tem QUINZE VEÍCULOS EM UM. Se importa: ele é o outro Voltron.

9 Daltanious (Mirai Robo Daltanious)


O astro da última série de super robôs do grande Tadao Nagahama, o Daltanious (ou Daltanias, ou Dartagnas) não é grande coisa por si só. Mas teve uma influência imensa no gênero uma década a frente: é dele que vem a grande marca de design da macro-série Yuusha, a memorável cabeça de leão no peito. A série em si é divertida, mas não chega a ser excepcional. Já o seu robô título tem tudo que se pode esperar de um super robô. Também de seus sucessores, incluindo ser composto por um robô menor e várias peças de apoio e representar a verdadeira BRAVURA e CORAGEM.

8 Dougram (Fang of the Sun Dougram)

Em 1982, a era dos super robôs estava em queda: Gundam havia reinventado os robôs gigantes e aberto as portas para dramas de guerra. Mas ainda havia um problema. A série de Tomino levava o ranço dos super robôs, com seus protótipos invencíveis e monstros da semana. Eis que surge o Dougram para dar um toque extra de realismo. Sim, ele era um “super protótipo”, mas sua grande vantagem não era “ser invencível”. Era só não ter nenhuma máquina no começo do conflito que fosse feita para o ambiente local. Dougram deu a luz a toda uma outra linha de robôs gigantes: sóbrios, “no nonsense” e realistas.

7 Gold Lightan (Golden Warrior Gold Lightan)


Ao longo dos anos tivemos robôs que viram de tudo: tanques, aviões, fortalezas, naves, navios, cidades... Mas Lightan e seus companheiros definitivamente levam o recorde: o dourado guerreiro se transformava em um... Isqueiro. Dessa humilde forma, um robô de trinta metros de altura emergia. Enquanto para o reino da animação Lightan é uma cômica nota de rodapé, no mundo dos brinquedos ele foi um precursor: em resposta a linha Lightan que a Takara lançou Microchange, com robôs que viravam vários objetos comuns, como gravadores, câmeras, binóculos e armas. Mas nada que batesse o absurdo de um isqueiro que se expandia em um robô gigante.












6 Golion (Beast King Go Lion) - vulgo Voltron


Golion pode ter sido um fracasso no Japão, mas não dá pra negar que o robô título (vulgo o Voltron) merece respeito. A começar por ser formado por cinco leões - e afinal, quem precisa de “mãos” e “pés” quando se pode ter cabeças de leão desempenhando o papel de tudo? Além disso, Voltron foi um dos mais bem sucedidos robôs gigantes no ocidente (especialmente nos EUA). A única maneira que isso poderia ser mais legais se ele fosse feito de cinco tubarões.

5 VF-1A Valkyrie (Superdimensional Fortress Macross)


Os caças transformáveis de Macross podem não ser os primeiros robôs transformáveis, mas estão entre os mais famosos - e alguns dos primeiros a virar algo crível. O design elegante de Shoji Kawamori, a transformação intermediária num “Gerwalk” (um avião com braços e pernas), a flexibilidade em combate e a capacidade de lançar mais mísseis do que um fanfic ruim abrem nosso Top 5. Não fossem os Valkyries, é pouco provável que tivesse, tantos robôs transformáveis.

4 Daimos (Toshou Daimos)


Daimos pode não ser o robô mais elegante, mais bonito, ou mais bem armado. Mas tem uma vantagem que ninguém mais nessa lista possui: ser controlado por captura de movimentos! Nada melhor que um robô gigante pilotado por um artista marcial que pode usar artes marciais. Além do que, como não respeitar um robô capaz de gerar um paradoxo tão grande quanto uma nevasca de fogo?

O que me intriga é o que o Kazuya tem que fazer para transformar Daimos em um caminhão. Isso deve doer (ok, eu sei que tem um botão, e a captura de movimento é só pra forma de robô).

3 Ideon (Space Runaway Ideon)


Ideon é um caso claro de “robô deus”: nada é páreo para o gigante do do espaço. Movido a força misteriosa IDE, o Ideon conta com armas para todas as ameaças. Caças? Mísseis dão conta. Robôs inimigos? Que tal lasers? Não foi o bastante? Que tal lâminas de energia capazes de cortar planetas? Frotas inimigas? Buracos negros resolvem. Não quer ferir seus aliados? A maior das armas resolve: a Ideon Gun, capaz de emitir um feixe de destruição implacável e que jamais para.
Um colosso sob um controle tênue da humanidade, com força o bastante para causar o apocalipse. O gigante criado (ou contido) pela “quinta civilização” levou ao ápice um novo meio de ver os Robôs Gigantes: um horror implacável que apenas pensamos ter sob controle, uma representação sinistra da tolice humana e nossa capacidade para perverter forças além do nosso controle. Ao fim das contas, sua destruição é a nossa destruição - literalmente.





2 RX-78-2 Gundam (Mobile Suit Gundam)


Inevitável que o diabo branco ficasse perto do topo desta lista. Afinal, o Gundam moldou as bases do gênero para as próximas três décadas. Além disso, é inegável: o Gundam é um dos maiores ícones culturais do Japão, com direito a uma réplica em tamanho real. O RX 78-2 (e suas versões futuras) foram um sucesso tão grande que para muitos Gundam e Robô Gigante são sinônimos.

E nada mais icônico que a combinação de rifle, escudo e sabre de raios do RX-78-2, tão marcante para a FC japonesa quanto os sabres de luz de onde bebeu são para Star Wars. E simplesmente por que sim, nada melhor do que por metralhadoras na cabeça. Um arsenal impressionante antes de adicionar qualquer arma extra e que é continuamente expandido por variações e expansões. Para não mencionar seus sucessores.

1 MS-06 Zaku II (Mobile Suit Gundam)

Apesar do quão marcante o Gundam original é, o topo da lista só poderia ser do seu oposto, o humilde Zaku II. Onde o Gundam é o trunfo da Federação, o Zaku é o “soldado raso” do principado de Zeon. Sua estética funcional e dura será vista em mechas ao longo dos próximos 36 anos. Assim como o Gundam marcou a queda do super robô invencível, o Zaku marcou a decadência do “monstro da semana”. Sim, a formula persiste. Mas mudou muito com a introdução desses soldados onipresentes (cujo nome deriva de “Zako”:, fracote).

Embora não tenha o mesmo “realismo” do Dougram e seus sucessores, o Zaku é a definição do Mecha militar japonês. Tudo no seu design é memorável, do mono-eye ao escudo de ombro, do machado térmico à metralhadora de 120mm baseada no arsenal da alemanha nazista. Eles podem explodir aos montes, mas ninguém mais poderia estar no topo da lista.


4 comentários:

  1. Imagino jogar em um RPG e estar pilotando um Zaku como ficha. Como interpretação de personagem ia ser ótimo, mas o personagem não ia durar uma sessão. AHUHAUAH

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só digo uma coisa: os melhores ases da Guerra de Um Ano pilotavam Zakus. Maquinas ruins em boas mãos fazem milagre. Shinn Matsunaga, Johnny Ridden e Char Aznable que o digam.

      E desculpe pela demora na resposta

      Excluir
  2. Feliz demais com a escolha do Zaku como primeiro lugar. Fui lendo a lista e pensando "bem que poderia ser", e não é que foi? Adoro o design dele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O design do MS-06F e suas variações é de longe o melhor design da série original de Gundam. Ao menos por mim. Não poderia estar em outra posição, de maneira alguma.

      Excluir